quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

BOAS ENTRADAS ...


... E CONTINUAÇÃO em 2009
Embora as perspectivas não sejam muito animadoras, quem sabe se o ano de 2009 não poderá vir a ser uma boa surpresa. Estes são, pelo menos, os meus votos.

FELIZ ANO de 2009 para todos!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Plantas ornamentais: Arruda

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

A Arruda que é também conhecida pelas designações comuns de arruda-fedorenta e arruda-dos-jardins, entre outras (com o nome científico de Ruta graveolens L, e sinónimos: Ruta montana, Ruta sativa, Ruta hortensis, Ruta latifolia) é uma planta muito aromática, embora, a meu ver, de cheiro pouco agradável, mas bastante cultivada, quer como planta ornamental, quer devido ao facto de lhe serem atribuídas propriedades medicinais. Nalgumas zonas do país é-lhe ainda atribuída a virtualidade de afugentar pragas dos campos de cultivo.
Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Sapindales; Família: Rutaceae; Género: Ruta; Espécie: Ruta graveolens.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Agrimónia (Agrimonia eupatoria)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

A Agrimónia (nome científico:Agrimonia eupatoria L.) é uma planta nativa da Europa, Ásia e norte de África que pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe:Magnoliopsida; Subclasse:
Rosidae; Ordem: Rosales; Família: Rosaceae; Género: Agrimonia; Espécie: Agrimonia eupatoria.
São-lhe atribuídas propriedades medicinais.
Mais informação: aqui.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Árvore-do-papel-de-arroz (Tetrapanax papyriferus)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Árvore-do-papel-de-arroz é a designação vulgar, em português, desta planta originária da China e da Formosa, com o nome científico de Tetrapanax papyriferus (Hook.) K.Koch e que pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Apiales; Família: Araliaceae; Subfamília: Aralioideae; Género: Tetrapanax; Espécie: Tetrapanax papyriferus
(Proveniência da imagem: Jardim Botãnico de Lisboa)

sábado, 20 de dezembro de 2008

Opuntia leucotricha

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)


Na imagem, uma planta suculenta da família dos cactos, com o nome científico de Opuntia leucotricha DC. e que tem as designações em inglês de Arborescent Prickly Pear, Aaron's beard cactus e semaphore cactus e em espanhol os nomes de Duraznillo blanco e Nopal blanco. No México, donde esta planta é originária é conhecida pela designação de Durasnilla.
Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Caryophyllales; Família: Cactaceae; Género: Opuntia; Espécie: Opuntia leucotricha.
(Proveniência da imagem: Jardim Botânico de Lisboa)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Iochroma coccineum

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Ramo com folhas e flores de uma planta com o nome científico de Iochroma coccineum Scheidw. Originária da América Central, esta planta pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Solanales; Família: Solanaceae; Género: Iochroma; Espécie: Iochroma coccineum.
(Proveniência da imagem: Jardim Botânico de Lisboa)

Cabreira; Seisim (Phyllis nobla)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Cabreira, Seisim, ou Seisinho, são os nomes comuns desta planta, com o nome científico de Phyllis nobla, originária das ilhas da Madeira e das Canárias e que pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Gentianales; Família: Rubiaceae; Género: Phyllis.
(Proveniência da imagem: Jardim Botânico de Lisboa)

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Euphorbia grandicornis

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
A Euphorbia grandicornis K. I. Goebel é uma planta suculenta originária da África Oriental (do Quénia à África do Sul) que pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Malpighiales; Família: Euphorbiaceae Subfamília: Euphorbioideae; Género: Euphorbia; Espécie: Euphorbia grandicornis.
(Imagem captada no Jardim Botânico de Lisboa)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Euphorbia balsamifera

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)


Euphorbia balsamifera Aiton ssp. ADENENSIS (Defl.) Bally, de seu nome, esta planta suculenta é originária do Sul da Arábia, do Iémen e Somália.
Pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Malpighiales; Família: Euphorbiaceae; Subfamília: Euphorbioideae.
É uma planta muito tóxica.
(Imagem colhida no Jardim Botânico de Lisboa)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Plantas alimentares: A Cebola (Allium cepa)

(O bolbo)

(A planta)

(Inflorescência)
A Cebola (Allium cepa L.) [de que acima se apresenta o respectivo bolbo (também designado vulgarmente pelo nome da planta), a planta ainda em fase de crescimento e a sua inflorescência em forma de umbela] pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Liliopsida; Ordem: Asparagales; Família: Alliaceae; Género: Allium; Espécie: Allium cepa.
O bolbo da cebola é um dos ingredientes mais utilizados na confecção de alimentos, havendo também quem o consuma ao natural. Para além do bolbo, também as folhas da cebola são utilizadas na alimentação humana, sobretudo em saladas.
O consumo da cebola é aconselhado no plano medicinal, como preventivo de algumas doenças, devido ao facto de a alguns dos seus constituintes serem atribuídas propriedades anti-inflamatórias e anti-oxidantes.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Plantas alimentares: O nabo (Brassica rapa)

(Cultura de nabos)

(O nabo)

Estamos no tempo deles, razão para trazer ao "Botânico aprendiz" o Nabo (Brassica rapa L.), planta alimentar que pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Brassicales; Família: Brassicaceae; Género: Brassica; Espécie: Brassica rapa.
O nabo tem vindo a conhecer uma cada vez maior aceitação como alimento humano, conquanto continue a ser também muito utilizado na alimentação dos animais domésticos. Na alimentação humana aproveitam-se do nabo todas as suas partes constituintes: a raiz (tuberculosa) a que é também dado o nome de "cabeça", utilizada em sopas e na confecção do famosíssimo "cozido à portuguesa"; as folhas, também designadas por "nabiças", na confecção de sopas e de "esparregado" e, após o início da floração, os grelos, no acompanhamento de diversos pratos de peixe e de carne.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Plantas suculentas: Figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica)

(A planta com frutos)

(Frutos - pormenor)
Figueira-da-índia ou Tabaibeira (no Brasil) é o nome vulgar, em português, desta planta suculenta da família dos cactos, com o nome científico de Opuntia ficus-indica (L.) Mill. pertencente à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Subclasse: Caryophyllidae; Ordem: Caryophyllales; Família: Cactaceae; Género: Opuntia; Espécie: Opuntia ficus-indica.
É desconhecida a origem desta planta, que é vulgar e surge espontânea em Portugal. É utilizada, sobretudo, como planta ornamental, quando não surge espontânea, bem como em sebes naturais. Os seus frutos são comestíveis, embora sejam objecto de pouca procura.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Plantas ornamentais: "Limpa-garrafas" (Callistemon rigidus)

(A planta)

(Pormenor)

Limpa-garrafas é o nome vulgar atribuído a esta planta, com o nome científico de Callistemon rigidus R.Br. Originária da Austrália, é usada em Portugal como planta ornamental. Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Myrtales; Família: Myrtaceae; Género: Callistemon, género de que a Callistemon rigidus é uma das 34 espécies existentes.
(Para ampliar, clicar sobre s imagens)

Canforeira (Cinnamomum camphora)

(A árvore)

(Pormenor de um ramo com um fruto)

A Canforeira (conhecida no Brasil pelo nome comum de Canforeiro) com a designação científica de Cinnamomum camphora (L.) Sieb. é uma planta originária do Extremo Oriente (China, Japão, Taiwan e Indochina), pertencente à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Laurales; Família: Lauraceae; Género: Cinnamomum; Espécie: Cinnamomum camphora;
Desta planta extrai-se uma substância química (a cânfora, termo com que também se designa, vulgarmente, a própria planta) substância que é usada no fabrico de plásticos e do celulóide, sendo também utilizada como incenso e na preparação de medicamentos.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens, obtidas no jardim da Casa da Cerca - Almada)

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Plantas ornamentais: Brincos-de-princesa (Gen. Fuchsia)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Planta do género Fuchsia Plum., designada em Portugal e no Brasil, tal como outras do mesmo género, por "Brincos-de-princesa", ou "Fúcsia". Existem mais de uma centena de espécies deste género de plantas, para além de numerosos híbridos. Dada a beleza das suas flores, esta planta é muito usada como planta ornamental, quer no interior, quer no exterior das habitações. Este género de plantas pertence à: Divisão:Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Myrtales; Família: Onagraceae;

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Dama-da-noite (Cestrum nocturnum)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Dama-da-noite, Jasmim-da-noite e Jasmim-verde são alguns dos nomes comuns atribuídos a esta planta, com o nome científico de Cestrum nocturnum L. que pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Solanales; Família: Solanaceae; Género: Cestrum; Espécie: Cestrum nocturnum.
Trata-se de uma planta ornamental, originária do México, América Central e Índia. A suas flores são muito odoríferas, mas todas as partes da planta são tóxicas.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Tamargueira-rosada (Tamarix gallica) em flor, com bónus

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Tamargueira-rosada (Tamarix gallica L.), em flor, com bónus (duas pequenas vespas esvoaçando sobre as flores). Esta planta é originária das regiões secas da Europa do Sul, cresce espontaneamente em Portugal, sobretudo no Sul do país e é também usada, em Portugal, como planta ornamental.
Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Caryophyllales; Família: Tamaricaceae; Género: Tamarix; Espécie: Tamarix gallica.
(Imagem colhida no jardim do Castelo de Tavira)

Em maré de couves, sai uma couve lombarda (Brassica oleracea, grupo Sabauda)

No seguimento do penúltimo "post", a imagem da Couve-lombarda, ou simplesmente, "Lombarda", pertencente, tal como a couve-portuguesa, à espécie Couve (Brassica oleracea), mas integrante do grupo Sabauda. Os usos culinários desta planta são os mesmos da Couve-portuguesa.

domingo, 16 de novembro de 2008

A Batateira (Solanum tuberosum) e a batata

(A batateira)

(A flor)

(Os tubérculos)

A Batateira (nome científico: Solanum tuberosum L.) pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Solanales; Família: Solanaceae; Género: Solanum; Espécie: Solanum tuberosum.
O tubérculo da batateira (a batata, termo que é utilizado também para designar a própria planta) é, seguramente, um dos alimentos mais consumidos em todo o mundo e sob as mais variadas formas (batatas cozidas, fritas, assadas e em puré). Originária da América do Sul, a batata foi dali trazida para Espanha no século XVI, tendo-se, posteriormente, expandido a sua cultura pela Europa e por todo o mundo. Em Portugal e sobretudo nas comunidades rurais, a batata (de que existem, actualmente, milhares de variedades) constituiu, durante os últimos séculos e até há poucas décadas, a base da alimentação humana, em substituição da castanha.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

sábado, 15 de novembro de 2008

Plantas alimentares: Couve-portuguesa (Brassica oleracea)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Couve-portuguesa ou Couve-tronchuda são as designações comuns desta variedade da planta da espécie Couve (nome científico : Brassica oleracea L., ou Brassica sylvestris (L.) Mill.), espécie que pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Brassicales; Família: Brassicaceae; Género: Brassica.
Existem numerosas variedades de couve, formando grupos, alguns divididos em subgrupos. A couve-portuguesa inclui-se no grupo Costata.
Da couve-portuguesa utilizam-se, na alimentação humana, as folhas e os grelos: aquelas na confecção de sopas e de outros pratos, como p.e. "feijoada à transmontana"; os grelos para acompanhamento de outros pratos e na confecção de arroz (arroz de grelos).

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Medronheiro (Arbutus unedo): A Flor

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

aqui se publicou uma mensagem com a planta e os frutos do Medronheiro. Como estamos na época da floração, publica-se agora uma imagem da respectiva flor. A planta também é conhecida pelo nome comum de "Ervedeiro".
Classificação científica da planta: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Ericales; Família: Ericaceae; Género: Arbutus; Espécie: Arbutus unedo.

Plantas alimentares: O Almeirão (Cichorium intybus)

(A planta)
(Canteiro de almeirões)

Publicou-se no "post" anterior uma imagem com a flor do Almeirão. Publicam-se agora duas imagens: uma da planta, antes da floração, época em que as suas folhas são comestíveis ( foto 1), e outra de um canteiro de almeirões (foto 2). Para mais informação sobre a planta, veja-se o "post" anterior.

domingo, 9 de novembro de 2008

Flor de Almeirão (Chicorium intybus)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Flor do Almeirão (Cichorium intybus), planta que pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Asperales; Família: Asteraceae; Género: Cichorium.
O Almeirão é uma planta alimentar, cujas folhas são, à semelhança das folhas da alface, utilizadas em saladas, sendo que as folhas do almeirão são mais nutritivas que as da alface, e possuem também um sabor amargo mais acentuado. Para atenuar esse sabor, é conveniente deixá-las permanecer em água durante algum tempo, depois de cortadas e antes de serem utilizadas.

sábado, 8 de novembro de 2008

Plantas ornamentais: Pata-de-cavalo (Ligularia tussilaginea)

(Para ampliar clicar sobre a imagem)

Planta designada vulgarmente por Pata-de-cavalo, com o nome científico de Ligularia tussilaginea (Burm. fil.) Mak. é originária da China, Coreia, Japão e Formosa, sendo utilizada em Portugal como planta ornamental.
Classificação científica: A planta pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Asterales; Família: Asteraceae; Género: Ligularia.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Plantas ornamentais: A Hera ( Hedera helix)

(Pormenor de um ramo de hera)

(Aspecto da planta revestindo um muro)

(A hera em flor trepando por uma árvore)

(Pormenor da inflorescência)

A Hera ( Hedera helix L.) é uma planta trepadeira que surge espontaneamente no campo, revestindo muros, paredes e mesmo árvores, servindo-lhe uns e outras de suporte para trepar e a que se agarra com as suas raízes adventícias. Em Portugal, para além de espontânea, é também utilizada como planta ornamental. É também conhecida pelos nomes vulgares de heradeira, hereira, aradeira, hedra e hera-dos-muros.
Pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Apiales; Família: Araliaceae; Subfamília: Melinae; Género: Hedera.
(As imagens poderão ser ampliadas, clicando sobre elas)

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: Anágua-de-vénus (Brugmansia arborea)

(A planta)

(Pormenor das flores)

Anágua-de-vénus é o nome comum dado a esta planta originária dos Andes (América do Sul) e que tem o nome científico de Brugmansia arborea (L.) Lagerh. É usada em Portugal como planta ornamental em jardins públicos e particulares. Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe:Magnoliopsida; Ordem: Solanales; Família: Solanaceae; Género: Brugmansia.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: Estrela-de-natal, Euphorbia pulquerrima,

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)


Planta vulgarmente designada por Estrela-de-natal e também por Poinsétia (nome científico: Euphorbia pulquerrima Willd. Ex Klotzsch). É originária da América Central e utilizada em Portugal, como planta ornamental, mesmo no interior das habitações. Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Malpighiales; Família: Euphorbiaceae; Género: Euphorbia.

domingo, 26 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: Bela-sombra (Phytolacca dioica)

(1)

(2)
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)
Imagens (foto 1: pormenor de um ramo com uma inflorescência; foto 2: a planta) de uma árvore designada, vulgarmente, por Bela-sombra, Ombu, ou Umbu, com o nome científico de Phytolacca dioica L. e que é usada em Portugal como planta ornamental, embora não seja muito vulgar. É originária da América do Sul. Pertence à: Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Caryophyllales; Família: Phytolaccaceae; Género: Phytolacca.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: Pluméria rubra

(Pormenor das flores)

(A planta)
A Pluméria-rubra é uma das 7 ou 8 espécies do género Plumeria Tourn. ex L. e pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida: Ordem: Gentianales; Família:Apocynaceae.
É originária das zonas tropicais e subtropicais das Américas, sendo utilizada como planta ornamental. Também é conhecida pela designação de "Frangipani".
As fotografias foram obtidas no Jardim da Alagoa, em Tavira.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: "Martírios"( Euphorbia milii)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Ramo (com espinhos, folhas e flores) de uma planta com o nome científico de Euphorbia milii Des Moulins, que, de acordo com a Wikipedia, é conhecida no Brasil pelos nomes de Martírios, Coroa-de-cristo, Dois Irmãos, Bem-Casados, Coroa-de-Espinhos, entre outros. Pertence à Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Subclasse: Magnoliidae; Ordem: Malpighiales; Família: Euphorbiaceae; Género: Euphorbia.
É utilizada em Portugal como planta ornamental, especialmente, em jardins particulares, sendo que no Brasil, além servir como planta ornamental é também usada na formação de cercas vivas. A seiva desta planta (látex) é tóxica.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Plantas ornamentais: O Buxo (Buxus sempervirens)

(1)

(2)


O Buxo (Buxus sempervirens L.) é uma planta ornamental originária da Europa e muito usada em Portugal para delimitar canteiros, em jardins, sendo também visto com frequência em cemitérios, uso que fica a dever-se, principalmente ao facto de manter as suas folhas sempre verdes e de suportar podas frequentes que visam dar-lhe uma forma mais regular e mais adaptada aos locais ajardinados, como se pode ver na foto 1. Na foto 2 temos um pormenor das folhas e das flores. O Buxo pertence naturalmente ao Reino:Plantae; Divisão: Magnoliophyta; Classe: Magnoliopsida; Ordem: Buxales;Família: Buxaceae; Género: Buxus.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

domingo, 19 de outubro de 2008

Plantas alimentares: O espinafre (Spinacia oleracea)

(1)

(2)

Legenda:
Foto 1 - Canteiro com espinafres;
Foto 2 - Pormenor das folhas;
O Espinafre (Spinacia oleracea L.) é uma planta alimentar utilizada, principalmente, na confecção de sopas e de "esparregado" e em saladas. Pertence à Classe: Magnoliopsida; Ordem: Caryophyllales; Família: Amaranthaceae; Género: Spinacia.
(Para ampliar as imagens, clicar sobre elas)

Plantas aromáticas: O Alecrim

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
O Alecrim [Rosmarinus officinalis L. (Sinónimo: Rosmarinus latifolius Mill.)] é uma planta muito aromática, usada em culinária, sobretudo na confecção de pratos de carnes assadas. É também utilizada em infusões recomendadas pela medicina popular. Desta planta são extraídos óleos usados em perfumaria. E finalmente, o alecrim é também utilizado como planta ornamental.
Pertence à Classe: Magnoliopsida; Ordem: Lamiales; Família: Lamiaceae; Género: Rosmarinus.