sexta-feira, 14 de abril de 2017

Verbasco-de-flores-grossas (Verbascum litigiosum)






Verbasco-de-flores-grossas (Verbascum litigiosum Samp.)
Erva  bienal,  com caules erectos, geralmente não ramificados, que pode atingir até 2m, revestida por tomento muito denso, com flores dispostas em inflorescência espiciforme, ininterrupta e de tal forma compacta que o eixo da inflorescência dificilmente se mostra visível, quer na fase da floração, quer durante a frutificação.
Tipo biológico: hemicriptófito;
FamíliaScrophulariaceae
Distribuição: Endemismo lusitano, circunscrito ao litoral oeste, no centro e sul do território do Continente.
Ecologia/habitat: areias marítimas e dunas litorais.
Floração: de Abril a Junho.
Estado de conservação: a espécie encontra-se ameaçada  por frequente perturbação do habitat. Goza, no entanto, de protecção legal: "Anexo IV da Directiva Habitats, Anexo II da Directiva Habitats" (fonte)
[Local e data: Foz do LiZandro (Ericeira); 13 - Abril - 2017]

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Jornadeando de novo em busca de orquídeas silvestres



Anacamptis pyramidalis (L.) Rich. (Satirião-menor)

***


Orchis coriophora L. (Erva-perceveja)

***


Ophrys speculum subsp. lusitanica O.Danesch & E.Danesch (Abelhão)

***

(Local e data: Cheleiros (Mafra); 12 - Abril - 2017)
(Clicando nas imagens, amplia)

terça-feira, 11 de abril de 2017

Sanfeno-bravo (Onobrychis humilis)

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

(8=

(9)
Sanfeno-bravo [Onobrychis humilis (L.) G.López]
Subarbusto um tanto ou quanto sedoso, com caules mais ou menos prostrados (decumbentes ou ascendentes) que podem atingir até 50 cm; folhas com 3 a 10 pares de folíolos; flores com corola púrpura ou branca com nervos purpúreos, agrupadas em inflorescências longamente pedunculadas; frutos com contorno semiorbicular, espinhosos, pelosos, por vezes, glabros.
Características facilmente observáveis distintivas em relação às congéneres: estandarte, em geral mais comprido do que a quilha, apresentando esta uma curvatura em ângulo obtuso; frutos grandes, maiores do que os de qualquer outra espécie com ocorrência na Península Ibérica e com espinhos que podem atingir até 7mm.
Tipo biológico: caméfito;
Família: Fabaceae;
Distribuição: Centro e Sul da Península Ibérica e Noroeste de Marrocos.
Em Portugal ocorre apenas em parte do território do Continente (Algarve, Alto e Baixo Alentejo e Estremadura)
Ecologia/habitat: pastagens e clareiras de matagais, em solos ácidos (graníticos, arenosos e xistosos) ,por vezes em substrato calcário descarbonatado, a altitudes até 760m.
Floração: de Março a Julho.
Sinonímia: Hedysarum humile L. (Basónimo)
[Locais e datas: Mértola (Alentejo); 6 - Abril - 2017 (fotos 2, 5 e 6); Sagres (Algarve); 9 - Março - 2017 (fotos restantes)
(Clicando nas imagens, amplia) 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Em defesa das orquídeas do Parque*


Limodorum abortivum (L.) Sw. (Limodoro-mal-feito



Cephalanthera longifolia (L.) Fritsch

***


Ophrys apifera Huds. (Erva-abelha)

***
* O parque referido no título é o Parque da Paz em Almada, onde a paz para as orquídeas (e são bem mais as espécies que nele se desenvolvem do que as que aqui são mostradas) é palavra vã: quando não é o passante que não resiste a cortar pela base uma haste florida, encarregam-se da sua destruição as máquinas corta-relvas ou roça-matos da Câmara, conduzidas, pelos vistos, por quem é incapaz de apreciar-lhes a beleza. Hélas!

sábado, 8 de abril de 2017

Junquilho (Narcissus jonquilla)






 
 Junquilho (Narcissus jonquilla L.)
Erva perene, bulbosa, glabra, com 20 a 40 cm. Entre as características que mais facilmente permitem identificar a espécie face às demais congéneres destaca-se a existência de um tubo do perianto, amarelo, recto e comprido.
Tipo biológico: Geófito;
FamíliaAmaryllidaceae
Distribuição: endemismo ibérico com ocorrência limitada ao Centro e Sul da Península Ibérica. Introduzido para fins ornamentais em diversos países do Sul da Europa onde, entretanto, se naturalizou.
Em Portugal é dado como presente no Algarve e no Alto e Baixo Alentejo. No entanto, o portal Flora.on contém também registo de avistamentos, quer na Beira Baixa, quer em Trás-os-Montes (Alto Douro). 
Ecologia/habitat: leitos de cheia e margens de cursos de água; outros terrenos em zonas húmidas, a altitudes até 1200 m.
Floração: de Fevereiro a Abril.
(Locais e data; Ribeira de Carreiras e Ribeira do Vascão (concelho de Mértola); 6 - Abril - 2017)

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Plantas em floração na encosta do Guadiana, no Baixo Alentejo (hoje)

O Rio Guadiana a sul de Mértola, próximo da povoação de Lombardos

Imagem da encosta

***
Algumas das plantas que por ali florescem, nesta altura:

Cistus ladanifer L. subsp. ladanifer (Esteva; Xara)

Cistus monspeliensis L. (Sargaço)

Genista hirsuta Vahl subsp. hirsuta

Lavandula pedunculata (Mill.) Cav. (Rosmaninho-maior; Arçã)


Phlomis purpurea L. (Marioila)

Asphodelus serotinus Wolley-Dod

sexta-feira, 31 de março de 2017

Fritilária (Fritillaria lusitanica)



Fritilária (Fritillaria lusitanica Wikstr.)
Planta bulbosa, perene (tipo biológico: géofito) da família Liliaceae.
Distribuição: Região Mediterrânica Ocidental (Península Ibérica e Norte de Marrocos)
Ecologia/habitat: pastagens; orlas e clareiras de matos e de bosques de tipo mediterrânico, em terrenos pedregosos, com alguma preferência por substratos básicos.
Floração: de Fevereiro a Maio.
(Local e data: Serra da Arrábida; 30 - Março - 2017)

quarta-feira, 29 de março de 2017

Sinais de Primavera - Plantas em flor - uma jornada à beira do Estuário do Tejo


Centranthus calcitrapae L. (Calcitrapa)

*****



Cistus ladanifer L. (Esteva ou Xara)

*****




Cistus salviifolius L. (Sargaço-mouro)

*****

Halimium calycinum (L.) K.Koch

*****


Leucojum trichophyllum Schousb.

*****

Lupinus luteus L. (Tremoceiro-amarelo)

*****

Ophrys bombyliflora Link (Erva-mosca)

*****
Pequena amostra de plantas que florescem em terrenos em redor do Estuário do Tejo por alturas da Aldeia de Paio Pires (Seixal) nas proximidades da Siderurgia Nacional.