terça-feira, 16 de julho de 2019

Sagina saginoides





Sagina saginoides (L.) H.Karst. *
Erva perene, de reduzidas dimensões (3 a 12 cm) com caules numerosos, procumbentes, pouco ou nada ramificados; folhas lineares, as basais eventualmente falciformes; flores pentâmeras, com pétalas brancas, semelhantes às sépalas em comprimento, solitárias, dispostas no extremo de compridos pedicelos.
Tipo biológico: hemicriptófito;
FamíliaCaryophyllaceae;
Distribuição: encontra-se presente na Europa, Sudoeste da Ásia, Noroeste de África, América do Norte e Gronelândia.
Em Portugal está confinada à Serra da Estrela (Beira Alta e Beira Baixa), aparentemente a altitudes acima de 1700m.
Ecologia/habitat: turfeiras e prados húmidos em zonas de montanha, a altitudes entre 950 e 3000m.
Floração: de Abril a Setembro.
* Sinonímia: Spergula saginoides L. (Basónimo)
Nota complementar: Incluída na Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental, na  categoria "Em Perigo".
(Local e data do avistamento: Serra da Estrela; 11- Julho - 2019)
(Clicando nas imagens, amplia)

terça-feira, 2 de julho de 2019

Allium pruinatum







Allium pruinatum Link ex Spreng.
Erva perene, bulbosa, glabra, com bolbo ovóide ou globoso, acompanhado, às vezes, por 1 a 3 bulbilhos; caule (19 a 50 cm) maciço, de secção circular; folhas (2 a 4) dispostas no terço inferior do caule, sem pecíolo, mas com bainha com cerca de 4 cm de comprimento e com limbo linear com 15 cm aproximadamente; inflorescência mais ou menos densa, com 16 a 39 flores; espata com 2 segmentos; flores com tépalas de cor púrpura; estames férteis incluídos no perianto (característica que claramente distingue esta espécie da congénere Allium sphaerocephalon com a qual é mais facilmente confundível).
Tipo biológico: geófito;
FamíliaAmaryllidaceae;
Distribuição: planta endémica da Península Ibérica, com ocorrência limitada ao  Sudoeste de Espanha (Províncias de Cáceres e Huelva) e ao Sul e Centro de Portugal Continental (Algarve, Alto e Baixo Alentejo, Estremadura, Ribatejo e Beira Litoral).
Ecologia/habitat: clareiras de pinhais, sobreirais e outros sítios secos, em solos arenosos, a altitudes até 700 m.
Floração: de Maio a Agosto;
[Local e data do avistamento: Fernão Ferro (Seixal); 1 - Julho - 2019]
(Clicando nas imagens, amplia)

Sedum pedicellatum subsp. lusitanicum





Sedum pedicellatum subsp. lusitanicum (Willk. ex Mariz) M.Laínz
Erva anual, suculenta, glabra, glauca, com caule erecto, ramificado, pelo menos, na parte superior; folhas ovado-cilíndricas; inflorescência com pedúnculo comprido; flores pêntameras com pedicelos mais compridos que o cálice e com pétalas brancas ou rosadas.
Trata-se de uma planta com reduzidas  dimensões (2 a 8 cm), podendo, em razão disso, passar despercebida mesmo ao observador mais atento.
Tipo biológico: terófito;
Família: Crassulaceae;
Distribuição: endemismo ibérico, com ocorrência em Portugal limitada à Beira Baixa, Beira Alta e Trás-os-Montes.
Ecologia/habitat: pastagens anuais de montanha sobre solos rochosos ou arenosos, a altitudes desde 600 até 2000 m.
Floração: de Maio a Agosto.
[Local e data do avistamento: Serra de Montesinho (Trás-os-Montes); 20 - Junho - 2019]
(Clicando nas imagens, amplia)

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Orquídea-ninho-de-pássaro (Neottia nidus-avis)






Orquídea-ninho-de-pássaro * [Neottia nidus-avis (L.) Rich. **]
Planta perene, rizomatosa (provida de rizoma com raízes grossas entrelaçadas em forma de ninho); caule erecto, amarelado, com 10 a 52 cm; folhas reduzidas a escamas; inflorescência com 15 a 70 flores pediceladas, com sépalas, pétalas laterais e labelo em tom castanho claro; frutos em forma de cápsula oblonga.
Planta desprovida de clorofila que se alimenta "de matéria orgânica em decomposição com a ajuda de fungos simbiontes" (fonte)
Tipo biológico: geófito;
Família: Orchidaceae;
Distribuição: grande parte da Europa e da Ásia.
Em Portugal ocorre apenas no território do Continente e circunscrita à Beira Litoral, Beira Alta, Minho e Trás-os-Montes, sendo muito rara em qualquer  das mencionadas regiões.
Ecologia/habitat: locais sob coberto de pinhais e bosques de árvores caducifólias, a altitudes desde 600 a 1800m.
Floração: de Abril a Agosto.
* Designação vernacular segundo o Portugal Botânico de A a Z.
** Sinonímia: Ophrys nidus-avis L. (basónimo)
[Local e datas do avistamento: Serra da Nogueira (Trás-os-Montes); 14/15 - Junho - 2019]

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Umbilicus heylandianus








Umbilicus heylandianus Webb & Berthel.
Planta perene, glabra, com caule erecto, por via de regra não ramificado, com 40 a 80 cm; folhas algo suculentas, com formas várias; flores com corola tubular de cor amarela mais ou menos intensa, com estrangulamento na garganta (característica que permite distingui-la facilmente da sua congénere Umbilicus rupestris); inflorescências de grandes dimensões, podendo atingir até 60% do comprimento da haste floral.
Tipo biológico: hemicriptófito;
Família: Crassulaceae;
Distribuição: Europa, Norte de África e Macaronésia.
Em Portugal ocorre apenas no Continente,  sendo, ao contrário da sua congénere U. rupestris, pouco comum, não chegando a cobrir todo o território, pois não existe nem no Algarve, nem no Baixo Alentejo.
Ecologia/habitat: bosques e terrenos rochosos, em locais sombrios, a altitudes até 1000m. Indiferente à composição do solo.
Floração: de Maio a Julho.
(Local e data do avistamento: proximidades da Lagoa de Albufeira (Sesimbra); 5 - Junho - 2019)

domingo, 9 de junho de 2019

Iberis ciliata subsp. welwitschii

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

(8)

(9)

(10)

(11)

(12)

(13)
Iberis ciliata subsp. welwitschii (Boiss.) Moreno
Planta perene, erecta ou prostrado-ascendente; com caule curto, terminando em roseta folhosa (perceptível nas fotos 7 e 9), donde partem ramos laterais, com frequência, numerosos; folhas lineares, agudas (cfr. foto 10), ciliadas ou pubescentes; com rebentos axilares pouco desenvolvidos; flores com pétalas brancas ou rosadas, agrupadas em inflorescências em corimbo, mais ou menos denso, plano, mas contraído na frutificação; fruto (cfr. fotos 12 e 13) oval, com lóbulos com margens um tanto arredondadas no ápice.
Tipo biológico: caméfito;
Família: Brassicaceae (Cruciferae)
Distribuição: endemismo ibérico, com ocorrência circunscrita ao Sudoeste da Península Ibérica. Em Portugal está presente no Algarve, Alto e Baixo Alentejo, Estremadura e Ribatejo.
Ecologia/habitat: terrenos arenosos, siliciosos, próximos do litoral, a altitudes até 100m.
Floração: de Abril a Junho.
[Local e datas dos avistamentos: herdade da Apostiça (Sesimbra); Março - 2018 (fotos 9 e 10); Maio - 2018 (fotos 1 a 8; 11 e 12); Julho - 2018 (foto 13)]
(Clicando nas imagens, amplia)