terça-feira, 21 de maio de 2024

Trevo-da-ligúria (Trifolium ligusticum)




Trevo-da-ligúria (Trifolium ligusticum Balb. ex Loisel.)
Erva anual com caules com 9 a 60 cm, erectos, ascendentes ou difusos, com pêlos patentes, pelo menos na parte superior; folhas alternas, trifoliadas, com folíolos obovados, inteiros ou denticulados na parte apical, obtusos ou emarginados no ápice; glabros ou vilosos na página superior e vilosos na página inferior; inflorescências especiformes, ovóides ou cónicas, com invólucro formado pelas estípulas das folhas superiores, inflorescências que, por vezes, se apresentam geminadas, sendo uma axilar longamente pedunculada e outra subterminal curtamente pedunculada; flores sésseis com cálice campanulado, viloso, com dentes setáceos, ciliados; corola menor que o cálice, rosada, glabra.
Tipo biológico: terófito;
Família: Fabaceae (Leguminosae)
Distribuição: Sul da Europa; Sudoeste da Ásia; Noroeste de África e Macaronésia (Madeira e Canárias)
Enquanto espécie autóctone, está presente em Portugal, não apenas no arquipélago da Madeira, mas também, ainda que de forma descontínua, em todo o território do Continente. Como espécie introduzida ocorre também presente no arquipélago dos Açores.
Ecologia/habitat: pastagens e outros relvados, terrenos incultos, em locais húmidos, ainda que só temporiariamente, em solos preferentemente siliciosos, a altitudes até 1500m.
Floração: de Abril a Julho.
[Avistamento: Canha (Montijo); 15 - Maio - 2024]





sábado, 18 de maio de 2024

Arroz-dos-telhados (Sedum album)




Arroz-dos-telhados *(Sedum album L.)
Planta perene, multicaule, suculenta, glabra, esverdeada, por vezes com manchas avermelhadas. Caules erectos podendo atingir até 30 cm de altura; folhas sésseis, inteiras, glabras, carnudas, esverdeadas ou acinzentadas, cilíndrico-ovóides; inflorescência em panícula corimbiforme, terminal; flores com sépalas soldadas formando um tubo curto, glabro; pétalas livres, brancas, por vezes com manchas cor de rosa; 10 estames. Sementes minúsculas.
Tipo biológico: caméfito;
Família: Crassulaceae;
Distribuição: Europa, Oeste da Ásia e Sibéria. 
Em Portugal ocorre apenas no território do Continente, sendo bastante mais comum nas regiões a norte do Tejo.
Ecologia/habitat; telhados, fendas de rochas, de muros e paredes, em dunas e terrenos arenosos e/ou pedregosos, a altitudes até 2400m. Indiferente à natureza do substrato.
Floração: de Abril a Agosto.
*Outros nomes comuns: Cachos-de-rato; Pinhões-de-rato
(Avistamento: Pragal - Almada; 7 - Maio - 2024)

domingo, 5 de maio de 2024

Trevo-morango (Trifolium fragiferum)

 




Trevo-morango (Trifolium fragiferum L.)
Erva perene, estolonífera, pilosa, pelo menos ao nível dos pecíolos, podendo atingir até 45 cm de comprimento; com caules decumbentes, glabros ou glabrescentes, enraizantes nos nós; folhas alternas, estipuladas, pecioladas, trifoliadas, com pecíolo até 16 cm; folíolos obovados, elípticos ou obcordiformes, quase sésseis, serrilhados na margem; estípulas lanceoladas, membranosas, glabras; inflorescências pedunculadas, axilares, capituliformes, com numerosas flores curtamente pedunculadas, com cálice bilabiado e corola não ressupinada, com estandarte livre, rosado, glabro, marcescente; fruto (vagem) incluído no cálice, indeiscente, com 1 ou 2 sementes.
Tipo biológico: hemicriptófito;
Família: Fabaceae (Leguminosae);
Distribuição: Europa, Oeste e Sudoeste da Ásia, Noroeste de África e Macaronésia (Madeira e Canárias).
Em Portugal ocorre, enquanto espécie autóctone, no território do Continente e no arquipélago da Madeira, e como introduzida no arquipélago dos Açores.
Ecologia/habitat: prados, pastagens e outros relvados, em solos mais ou menos nitrificados, por vezes com alguma salinidade, frequentemente nas margens de cursos de água, a altitudes até 1500m.
Floração: de Abril a Setembro.
(Avistamento: Almada; 3 - Maio - 2024)

terça-feira, 30 de abril de 2024

Plantas ornamentais: Corticeira (Erythrina crista-galli)



Corticeira (Erythrina crista-galli L.)
 
Planta com porte arbustivo ou de pequena árvore que pode atingir até 10 m. de altura.
Tipo biológico: fanerófito:
Família: Fabaceae (Leguminosae)
Distribuição: planta nativa da América do Sul (Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina), actualmente cultivada, como planta ornamental, nos dois hemisférios do planeta.
Floração (em Portugal): de Março a Maio.
* Outros nomes comuns: Eritrina-crista-de-galo; Bico-de-papagaio; Sapatinho-de-judeu; Flor-de-coral; Sanadu; Sananduva.
(Avistamento: Parque da Paz - Almada; 29 - Abril - 2024)

terça-feira, 9 de abril de 2024

Época das orquídeas silvestres (2024) (IX): Erva-perceveja, ou Erva-do-salepo (Anacamptis coriophora)


Erva-perceveja ou Erva-do-salepo [Anacamptis coriophora (L.) R.M.Bateman, Pridgeon & M.W.Chase; Sinónimo: Orchis coriophora L.]

Família: Orchidaceae.
Outras imagens e + informação: aqui.
(Avistamento: Parque da Paz - Almada; 9 - Abril - 2024)

quarta-feira, 27 de março de 2024

sábado, 16 de março de 2024

Plantas ornamentais: Dimorphotheca jucunda





Dimorphotheca jucunda E. Phillips *
Planta perene, com caules erectos ou prostrados, revestidos de pêlos glandulosos, podendo atingir até 50 cm de comprimento; folhas alternas, de forma variável, com margem ciliada, recortes pouco profundos e escassamente dentada; flores agrupadas em capítulos terminais, solitários, longamente pedunculados; as exteriores com lígulas de cor variável (rosada, arroxeada, ou alaranjada); as do disco (flósculos) de cor púrpura; frutos (cipselas) com dois formatos: os originados nas flores exteriores liguladas são trígonos; os originados nas flores do disco, achatados, cordiformes e ligeiramente alados.
Tipo biológico: caméfito;
Família: Asteraceae (Compositae);
Distribuição: planta nativa do Sul de África, cultivada como planta ornamental em várias partes do globo.
Ecologia/habitat: nos locais de origem ocorre em terrenos arenosos e rochosos a altitudes até cerca de 3000m.
Floração: ao longo de boa parte do ano, mas com maior intensidade de Fevereiro a Maio.
* SinonímiaOsteospermum jucundum (E.Phillips) Norl.
(Avistamento: Parque da Paz - Almada; 12 - Março - 2024)

segunda-feira, 11 de março de 2024

sábado, 9 de março de 2024

Campainhas (Campanula lusitanica subsp. lusitanica)




Campainhas (Campanula lusitanica subsp. lusitanica L.)
Erva anual, pubescente, com caules erectos ou ascendentes, com 8 a 40 cm de comprimento; folhas basais ovadas ou oblongas; as caulinares oblongas ou oblongo-lanceoladas, inteiras ou crenadas; inflorescência em panícula, folhosa, lassa. Flores erectas antes da antese, com pedicelos compridos; cálice com dentes lineares ou linear-lanceolados; corola campanulada de cor azulada; fruto (cápsula) obcónico, deiscente por poros laterais.
Tipo biológico: terófito
Família: Campanulaceae;
Distribuição: Península Ibérica e Norte de África. 
Em Portugal ocorre, como planta autóctone, ao longo de todo o território do Continente, e como planta introduzida, no arquipélago da Madeira.
Ecologia/habitat: relvados e pastagens anuais, rochedos, taludes, bermas de estradas e caminhos,  a altitudes até 1200 m.
Floração: de Março a Agosto.
(Avistamento: Almada; 5 - Março - 2024)

Época das orquídeas silvestres (2024) (V): Flor-dos-macaquinhos (Orchis italica)

 

Flor-dos-macaquinhos (Orchis italica Poir.)
Família: Orchidaceae;
Outras imagens e + informação: aqui.
(Avistamento: Serra da Arrábida; 8 - Março - 2024)

sábado, 2 de março de 2024

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2024

Erva-musgo (Crassula tillaea)

 



"Erva-musgo" (Crassula tillaea Lest.-Garl.)

Erva anual, glabra, de tão reduzidas dimensões (1 a 8 cm), que bem justifica a designação vernacular de erva-musgo, pois facilmente se pode confundir com musgos sobretudo quando, devido à aglomeração de indivíduos, forma tapetes sobre o solo, em geral pouco extensos. Apresenta caules simples ou ramificados, prostrados ou ascendentes; folhas diminutas (1 a 2 mm), ovado-oblongas, carnosas, frequentemente arroxeadas; flores geralmente trímeras, quase invisíveis a olho nu, solitárias ou dispostas em pequenos grupos na axila de quase todas as folhas.
Tipo biológico: terófito;
Família: Crassulaceae;
Distribuição: Sul e Oeste da Europa; Região Mediterrânica e Macaronésia.
Em Portugal ocorre como espécie autóctone em todo o território do Continente, bem como nos arquipélagos da Madeira e dos Açores
Ecologia/habitat: locais com alguma humidade, ainda que temporária, onde não tenha a concorrência de plantas de maior porte, tais como veredas e caminhos e mesmo por entre as pedras de calçadas, a altitudes até 1250 m.
Floração: de Janeiro a Agosto.
(Avistamento: parque da Paz - Almada; 7/15 -Fevereiro - 2024)

terça-feira, 13 de fevereiro de 2024

#Hepáticas: Mannia androgyna

 




Mannia androgyna (L.) A.Evans

Hepática* talosa de talo bifurcado, com até 3 cm de comprimento, em tons de verde mais ou menos claro, com margem arroxeada e onde sobressaem 2 fileiras de escamas roxas dispostas uma de cada lado da nervura central.
Planta terrícola adere ao substrato através de rizóides lisos e fixos.
O esporófito produz uma cápsula pedunculada, onde são formados os esporos.
Considerada durante largo tempo como espécie com ocorrência circunscrita à Região Mediterrânica, sabe-se actualmente que também surge em partes da Ásia, como é o caso do Japão.
Tal como a generalidade das hepáticas, exige para subsistir locais sombreados e húmidos.
Classificação científica:
Reino: Plantae;
Sub-reino: Embryophyta;
Superdivisão: Bryophyta sensu lato;
Divisão: Marchantiophyta ou Hepaticophyta;
Classe: Marchantiopsida;
Ordem: Marchantiales;
Família: Aytoniaceae;
Género: Mannia;
Espécie: M. androgyna;

* Nota: Sobre plantas hepáticas, o visitante dispõe aqui de um resumo breve e muito simplificado.
[Avistamentos: Troviscal (Sertã); 24 - Dezembro - 2023 e 2 - Fevereiro - 2024]

domingo, 11 de fevereiro de 2024

Veronica montana


Veronica montana L.
Erva perene, sublenhosa e geralmente ramificada na base; caules com 15 a 50 cm, de decumbentes a ascendentes; folhas ovadas, subarredondadas ou, raramente, subdeltadas, de base truncada a cordiforme, crenadas ou serradas, com revestimento de pêlos tectores na página superior e no verso; flores agrupadas (2 a 7) em cachos axilares; pedúnculos com 1 a 5 cm; brácteas com 1 a 3 mm, de linear-lanceoladas a ovais; flores com corola com 8 a 10 mm de diâmetro, tingida de azul pálido ou de lilás pálido a branco; fruto (cápsula) mais largo que comprido, transversalmente oval ou reniforme.
Tipo biológico: caméfito;
Família: Plantaginaceae;
Distribuição: planta eurosiberiana ocorre em toda a Europa, salvo no extremo Norte. Presente também na Argélia e na Tunísia, no Norte de África. 
Em Portugal ocorre apenas no território do Continente e circunscrita à Beira Alta, Beira Litoral e Minho.
Ecologia/habitat: bosques húmidos e sombrios, em solos ricos e preferencialmente ácidos, a altitudes até 1500m.
Floração: de Abril a Julho.
(Avistamento: Serra do Açor; 10 - Maio - 2018)