quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Barbas-de-velho ?

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

Esta planta da família Ranunculaceae, com a designação científica de  Nigella damascena L., tem na língua portuguesa os nomes comuns de Barbas-de-velho, Damas-entre-verde e Damas-no-Bosque (in Portugal Botânico de A a Z), o primeiro dos quais pouco condizente com a beleza das flores. As designações em língua inglesa e em língua espanhola também vão do simpático ao muito pelo contrário. Vá lá saber-se porquê. Love-in-a-mist e Devil in the bush, lhe chamam os ingleses e os espanhóis, Arañuela e Cabellos de Venus, entre outros nomes mais populares.
A planta é nativa do sul da Europa, mas encontra-se noutras regiões e continentes, quer naturalizada (norte da Europa, norte de África e sudoeste da Ásia) quer como planta cultivada (América do Norte). (Fonte).
A cor das flores varia  entre o branco, o rosa, o violeta e os vários tons de azul. Curioso, neste caso, é o facto de que as partes coloridas da flor não são as pétalas, como é mais habitual, mas as sépalas que podem variar de número (entre 5 e 25, segundo esta fonte que nos informa também que as pétalas se situam na base dos estames e são minúsculas e, pelo não visto, invisíveis à vista desarmada, ou pouco atenta, como foi o meu caso).
O fruto é uma cápsula com a forma que se pode observar na foto 6.
(Local e data: Termas do Cró - Rapoula do Côa - Sabugal: Junho - 2010)
(Clicando nas imagens, amplia)

2 comentários:

Anabela disse...

Lindíssimas
Achei poética a designação Damas no bosque :)
Gostei particularmente das azuis pensei um pintor pintando estrelas em pétalas da noite :)

Bom dia para si

Francisco Clamote disse...

Um bom dia também para si, Anabela.