sábado, 12 de fevereiro de 2011

Parra-da-Madeira (Anredera cordifolia)

(1)

(2)

(3)

(4)

Se cada caso é um caso, como é costume dizer-se, também cada planta tem as suas particularidades (e curiosidades) e esta Anredera cordifolia (Ten.) Steenis (sin.: Boussingaultia cordifolia Ten.) da família Basellaceae, não foge à regra.
Curiosa é, desde logo, a designação comum de Parra-da-Madeira, quando a planta é nativa da América do Sul (endémica da Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai), denominação que não é exclusivamente portuguesa, pois também  é conhecida em Espanha (v. link anterior) por Parra Madeira e designada em língua inglesa por  Madeira vine. É pelo menos admissível que tais designações se fiquem a dever ao facto de a espécie ter eventualmente sido introduzida na Europa, através da Ilha da Madeira. Terá sido? (Pergunta sem resposta).
Trata-se de uma planta trepadeira, com interesse ornamental, dotada de grande vigor vegetativo (v. foto 2) pelo que não admira que em algumas regiões tropicais e subtropicais onde foi introduzida ela seja considerada como planta invasora. Em Portugal continental, onde também se pode encontrar, não é, no entanto, muito vulgar, pelo que, pelo menos aparentemente, não parece apresentar tal característica.
As flores (foto 3) dispõem, aparentemente, de órgãos sexuais femininos e masculinos, mas ao que parece (v. segundo link) a planta raramente (ou nunca?) se reproduz sexualmente ou produz sementes (uma primeira singularidade) pelo que a reprodução é assegurada através dos tubérculos aéreos (outra particularidade visível na foto 4) e de fragmentos dos seus rizomas.
Alegadamente, os tubérculos e as folhas são comestíveis. Como, porém, ainda não provei, não recomendo.
(Clicando nas imagens, amplia)

5 comentários:

ssm disse...

Olá Francisco

Podes sim consumir tanto as folhas como os tubérculos da Anredera spp., aqui no Brasil, ela também é conhecida como bertalha e espinafre-gaúcho (este último nome,principalmente, aqui no Rio Grande do Sul - estado de onde sou).
As tuas fotos estão muito bonitas!
Eu também nunca vi elas se reproduzirem de forma sexuada, apesar da bela inflorescência!
Abraços,
Sara
Porto Alegre - RS - Brasil

Francisco Clamote disse...

Obrigado, Sara, pela informação. Abraço.

Cris disse...

Olá! Pesquisando, na Internet, pela bertalha, encontrei o teu blogue. Reforço a Sara e digo que se pode comer, hoje mesmo fiz a experiência: http://sitiodacris.blogspot.com.br/2016/03/minha-primeira-bertalha.html. Gostei muito do teu blogue, vou olhar mais. Parabéns!

Perma Torus disse...

As folhas desta planta são comestíveis, cruas ou cozidas. Cruas, parecem muito viscosas.
Os bolbos também parece ser comertível, mas os bolbos aéreos não são, apesar de utilizados na medicina tradicional chinesa.

Muito invasiva, se em condições optimas ao seu crescimento.

Tatinha disse...

Folhas e bulbos aéreos comestíveis sim! É deliciosos!
Aqui tem receitinhas: https://come-se.blogspot.com.br/2012/08/bertalha-coracao-o-mesmo-que-caruru-do.html?m=1