domingo, 30 de março de 2014

Tomateiro-do-diabo (Solanum linnaeanum)








Tomateiro-do-diabo (Solanum linnaeanum Hepper & P.-M.L. Jaeger)

Arbusto (50 a 200 cm), revestido de espinhos bem robustos (com cerca de 1,5cm) com caule erecto, muito ramificado, provido de folhas, elas também espinhosas, penatipartidas, com lóbulos de quase inteiros a profundamente lobados; flores acticnomorfas, hermafroditas, pediceladas, com corola de cor violeta pálido, surgindo solitárias ou dispostas em cimeiras  paucifloras; frutos carnudos com 2 a 4 cm de diâmetro, amarelados na maturação.
Família: Solanaceae.
Distribuição: espécie originária da África austral, mas, entretanto, introduzida e naturalizada em numerosas regiões do globo, designadamente, no Sul da Europa, Norte de África, América do Norte, Austrália e Nova Zelândia. Nestes dois países é mesmo considerada como planta invasora. Em Portugal ocorre, como planta introduzida e naturalizada, quer no território do Continente (Algarve, Baixo Alentejo e Estremadura), quer nos Arquipélagos dos Açores e da Madeira.
Ecologia/habitat: espécie ruderal, com preferência por locais com clima ameno, próximos do litoral (praias), ou na proximidade de povoações, a altitudes até 200m. 
Floração dispersa ao longo de todo o ano.
Nota: A planta é tóxica.
(Local e data: Forte do Rato - Ria Formosa - Tavira; 27 - Março - 2014)
(Clicando nas imagens, amplia)

5 comentários:

Majo disse...

~
~ Eu que julgava conhecer todas as Solanaceae...

~ Com os Descobrimentos, nem só plantas comestíveis e benéficas se trocaram entre os continentes!
Fiquei a pensar no que levou a difundir esta planta e só encontro uma resposta: a solanina deveria ser empregue em doses mínimas como terapia para aliviar o sofrimento, já que possui propriedades narcóticas.
~ Só a partir de 2mg/1Kg de peso, é que se torna tóxica. ~

Francisco Clamote disse...

É possível que a razão seja a que a Majo presume. Eu, francamente, não sei. Grato, entretanto, pelas infromações adicionais. Bem haja.

Tiago disse...

A planta deve ser mesmo resistente! Existe nos sistemas de dunas à beira mar em Islantilla, Espanha, onde prolifera e dá fruto!

Leonor disse...

Também lhe chamam Maçã-de-sodoma, Maçã-do-diabo, e outro nome que eu não digo para não ferir susceptibilidades. Ele é resistente, bonito, exótico, tóxico, raro em Portugal, mas não é só isto. Também é usado na medicina ervanária, é um excelente anti-mitótico (inibição de células cancerígenas) em alguns tipos de cancro. O seu uso, no entanto, requer cuidados e deve ser feito sob vigilância de uma pessoa entendida.

Leonor disse...

Tomateiro-do-diabo, Maçã-de-sodoma, e outro nome que não digo para não ferir susceptibilidades. É bonito, resistente, tóxico, raro em Portugal. Mas não é só isto. É também usado na medicina ervanária, tem propriedades antimitóticas (inibição de células cancerígenas), mas o seu uso deve ser feito sob vigilância de um entendido