quinta-feira, 23 de abril de 2015

Papoila-peluda (Papaver hybridum)


(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

(8)
Papoila-peluda (Papaver hybridum L.)
Erva anual (tipo biológico: terófito) híspida (com pêlos compridos, rígidos, mais ou menos abundantes), com caules erectos ou ascendentes que, no geral, não ultrapassam 35 cm; folhas penatipartidas (com recortes que se aproximam da nervura central e por vezes chegam até ela); as flores são, em geral, suportadas por compridos pedúnculos, assegurando assim a visibilidade da corola formada por pétalas coloridas de vermelho-vivo, cor a que a mancha negra ao nível da unha acaba por dar ainda maior realce; frutos em forma de cápsula, mais ou menos globosa, revestida com filamentos rígidos.
Distribuição: Sul da Europa; Sudoeste da Ásia; Norte de África e em parte da Macaronésia
Em Portugal ocorre na maior parte do território do Continente (alegadamente, a única excepção é a Beira Baixa) e no arquipélago da Madeira. 
Ecologia/habitat: campos cultivados e incultos; e locais com com alguma espécie de intervenção humana, como bermas de estradas e caminhos, a altitudes até 2000m.
Floração: de Março a Julho.
[Locais e datas: Portagem - Marvão; 2 - Maio - 2014 (foto 1); Elvas; 14 - Abril - 2015 (foto 6); Redondo; 14 - Abril- 2015 (fotos restantes)]

Sem comentários: