segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Serralha-áspera (Sonchus asper)

 





Serralha-áspera * [Sonchus asper (L.) Hill **]
Erva anual ou bienal da família Asteraceae, espécie que engloba duas subespécies: a nominal (S. a. asper)  e a subsp. glaucescens, correspondentes, ao que parece,  aos dois tipos biológicos da espécie: terófito, aquela e hemicriptófito, esta, com ciclo vegetativo anual e bienal respectivamente. As duas subespécies distinguir-se-iam, em particular, pelo facto de a subsp. glaucescens ser muito mais espinhosa do que a subespécie nominal.
Distribuição: A espécie é originária da Europa, Região Mediterrânica e de parte da Macaronésia. Presentemente é considerada como planta subcosmopolita quanto à distribuição, dado ter sido introduzida e encontrar-se naturalizada em várias outras regiões do globo, sendo que nalgumas ela é mesmo, actualmente, considerada como planta invasora. Em Portugal, onde ocorrem as duas subespécies, a planta é considerada como autóctone quer no território do Continente, quer na Madeira e como espécie introduzida no arquipélago dos Açores.
Ecologia/habitat: baldios, campos cultivados ou em pousio, bermas de caminhos, em locais com alguma humidade, a altitudes até aos 1500 m.
A floração em Portugal decorre, com maior ou menor intensidade, ao longo de quase todo o ano.
*Outros nomes comuns: Serralha-espinhosa; Serralha-escura; Serralha-preta
**Sinonímia: Sonchus oleraceus var. asper L. (Basónimo)
Obervação complementar: as folhas desta espécie são comestíveis, sendo utilizadas, designadamente, em saladas.
(Local e data: Serra da Arrábida; Março/ Abril - 2012)

4 comentários:

Majo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Clamote disse...

Obrigado, Majo, por mais esta ajuda. Muito útil. Saudações amigas.

Majo disse...

~
~ Muita gentileza sua. Obrigada. ~
~ Cordiais cumprimentos. ~

Majo disse...

~ Achei conveniente tornar o meu comentário mais preciso.

~ Tal como acontece com o espinafre, beldroegas e agrião, apenas se devem usar as folhas muito tenras, a fim de minimizar a assililação de Ácido Oxálico, que pode originar a formação de cálculos renais. ~