sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Bombardeira (Calotropis procera)


Mais uma planta trazida na bagagem da viagem à Índia: trata-se de um arbusto da família Apocynaceae e que dá pelo nome científico de Calotropis procera (Aiton) W.T.Aiton [Sinónimos: Asclepias procera Aiton; Calotropis busseana K.Schum.; Calotropis hamiltonii Wight; Calotropis heterophylla Wall.; Calotropis inflexa Chiov.; Calotropis persica Gand.; Calotropis syriaca (S.G.Gmel.) Woodson; Calotropis wallichii Wight; Madorius procerus (Aiton) Kuntze]. Segundo o "Portugal Botânico de A a Z", a planta é conhecida,  entre nós, pelas designações de Bombardeira e de Algodoeiro-de-seda, divergindo das designações, entre si convergentes, nas línguas inglesa (Apple of Sodom), francesa (Pommier de Sodome) e espanhola (Manzana de Sodoma). As apontadas designações têm, no entanto, todas elas, a sua explicação: os frutos da planta têm uma forma arredondada e o tamanho aproximado duma maçã, e ao serem colhidos, depois de maduros, como que "explodem", libertando as sementes providas de penachos brancos, cujas fibras podem ser utilizadas como substituto do algodão hidrófilo.
É considerada nativa da Ásia (Médio Oriente, Arábia Saudita e Índia) e de África, e encontra-se naturalizada na América do Sul, onde foi introduzida. Tem o seu habitat preferencial em ambientes desérticos quentes,  em locais onde exista alguma humidade, como sejam as depressões de cursos de água, ou os oásis.
(Local e data: Agra - Índia; 21- Agosto- 2010)
(Clicando nas imagens, amplia)

6 comentários:

Isa GT disse...

Uma planta deveras interessante que apesar de ser, altamente tóxica, fiquei admirada como há animais que a conseguem comer e como tem uma tão grande utilização farmacêutica.
"Généralement utilisée à petite dose (cardiotoxique). Toutes les parties de la plante sont toxiques, le latex ayant une action plus forte. Rameaux: Favorisent la digestion. Feuilles: Vermifuges. Filarioses, toux. Latex Toux, teigne.
Pharmacopée traditionnelle: Racines: Purgatives, diurétiques, contrepoison. Blennorragie, lèpre, carie dentaire, asthme, considérées comme galactagogues pour les femmes. Ecorce: Tonique, diaphorétique, aphrodisiaque, contrepoison. Syphilis. Rameaux: Diarrhée, asthme, lèpre+. Feuilles: Coqueluche, tuberculose, métrorragie. Latex: Antivomitif. Rhumatismes. Bois: Charbon: sur les mauvais ulcères. Plante à très nombreux usages médicomagiques (notamment contre la folie) et magicoreligieux"
É por isso que gosto de passar por aqui, acabo sempre por aprender coisas novas.
Bjos

Francisco Clamote disse...

Obrigado, Isa, pelas palavras de estímulo e pelo aditamento.Abraço.

Pirilampo Magico disse...

Esta planta existe em grande numero, ao longo da estrada entre o Sara Ocidental e a Mauritania. Sendo deserto, esta pequena arvore de flores lilaz é um regalo para os olhos.

Carla Souza disse...

tem uma dessa na calçada proximo a um bueiro em frente ao meu trabalho. vc acha q ela resistiria se eu a transplantasse? ou será que nasceria se eu plantasse as sementes??

Carla Souza disse...

tem uma dessa na calçada proximo a um bueiro em frente ao meu trabalho. vc acha q ela resistiria se eu a transplantasse? ou será que nasceria se eu plantasse as sementes??
estou no Brasil, cidade de São José do Rio Preto,SP.
Quero tentar tirar uma muda, pois está em frente a um terreno vazio. qdo o dono resolver construir, provavelmente irá extraí-la.

Francisco Clamote disse...

Olá, Carla. Com toda a franqueza não lhe sei responder às suas perguntas. Suponho, no entanto, que a forma mais segura de conseguir o seu objectivo será através da utilização das sementes.