sexta-feira, 17 de maio de 2019

Dente-de-cão (Erythronium dens-canis)

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

(8)

(9)
Dente-de-cão (Erythronium dens-canis L.)
Como já Carlos Aguiar escreveu, o Erythronium dens-canis "é sem dúvida uma das plantas mais fotogénicas da flora de Portugal continental."
Trata-se de uma erva perene, glabra, bulbosa, com bolbo semelhante a um dente de cão e, com frequência, com bolbilhos de propagação; caule com 6 a 30 cm, subterrâneo até ao nível da inserção das 2 folhas, apresentando estas como característica mais saliente numerosas manchas com tons que podem ir do avermelhado ao amarelado; flores solitárias com perianto formado por 6 tépalas livres de cor violeta ou rosada, por vezes, esbranquiçada; fruto em forma de cápsula pêndula.
Tipo biológico: geófito;
Família: Liliaceae;
Distribuição: Centro e Sul da Europa, desde a Península Ibérica até à parte europeia da Turquia.
Em Portugal está presente apenas no território do Continente e circunscrita a algumas regiões a norte do Tejo (Beira Alta, Beira Litoral, Douro Litoral, Minho e Trás-os-Montes)
Ecologia/habitat: prados; orlas e clareiras de matagais e de bosques de caducifólias, geralmente em zonas de montanha, a altitudes  desde 600 a 2000m.
Floração: de Fevereiro a Maio.
[Locais e datas: Serra do Açor; 28 - Março . 2019 (fotos 1 a 8); Serra da Nogueira; 5 - Junho - 2018 (foto 9)]
(Clicando nas imagens, amplia)

Sem comentários: