quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Plantas ornamentais: Frésia (Freesia refracta)

(1)

(2)
 
(3)

(4)

(5)

(6)

(7)
Frésia [Freesia refracta (Jacq.) Klatt]
Erva perene, bulbosa, com bolbo cónico ou ovoide; caule liso, erecto, em geral ramificado, com 15 a 40 cm de altura; folhas (7 a 10) linear-lanceoladas,  erectas, com o nervo central bem visível; flores com tépalas esbranquiçadas, verdes, amareladas ou de cor púrpura; as inferiores com manchas alaranjadas, flores que surgem agrupadas (3 a 10) em inflorescências especiformes, horizontais ou decumbentes; fruto com a forma  de cápsula trilobulada, com a superfície lisa ou papilosa.
Tipo biológico: Geófito;
Família: Iridaceae;
Distribuição: Tal como as restantes espécies do género Freesia (pouco mais que uma dezena) também a Freesia refracta é originária da África austral, e, designadamente, da África do Sul e, à semelhança das suas congéneres, também  é largamente cultivada e utilizada como planta ornamental, encontrando-se, por via desse uso, naturalizada em variadas partes do globo.
Em Portugal, onde as plantas do referido género também são usadas para fins ornamentais, só a Freesia refracta se encontrará naturalizada e ocorrerá apenas no Algarve, Alto Alentejo e Estremadura.. Tal é, pelo menos, o entendimento da Flora Iberica.
Ecologia/habitat: terrenos algo perturbados, com frequência, na proximidade de aglomerados urbanos.
Floração: de Fevereiro a Maio.
[Locais e datas: Serra de Monchique; 10 - Março -2016 (fotos 1, 3, 4 e 7 ); 23 - Maio - 2016 (fotos 5 e 6);  Loulé (concelho); 11 - Março - 2016 (Foto 2)]

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Codesso (Adenocarpus anisochilus)









Codesso (Adenocarpus anisochilus Boiss.)
Arbusto com cerca de 3 m, de cor verde escura, com caule mais ou menos erecto e, por via de regra, muito ramificado; folhas em geral trifoliadas com folíolos ovados ou elípticos; flores com corola (estandarte, asas e quilha) de cor  amarela mais ou menos intensa; frutos (vagens) glabros ou pilosos, mas com glândulas abundantes. 
Numerosas são as semelhanças entre as diversas espécies do género Adenocarpos que ocorrem entre nós. Valha-nos o portal da SPBotânica (Flora.on) que proporciona, inclusive a leigos, informação suficiente sobre as características da espécie para a conseguir identificar.  Na verdade,  o citado portal sugere que, para o efeito, se confirme a existência de um "cálice glabro mas com abundantes glândulas".
Tipo biológico: Fanerófito:
Família: Fabaceae / Leguminosae;
Distribuição: endemismo lusitano, com ocorrência limitada ao Algarve e ao Sudoeste do Alentejo.
Ecologia/habitat: terrenos baldios e incultos, clareiras e orlas de matos e florestas, em solos  derivados de granitos, sienitos e xistos, a altitudes entre 400 e 700m.
Floração: de Maio a Julho.
[Local e data: Serra de Monchique (Algarve); 25 - Maio - 2016]

domingo, 28 de agosto de 2016

Recapitulando: Margaça-de-inverno (Chamaemelum fuscatum)





 Margaça-de-inverno ou Margaça-fusca [Chamaemelum fuscatum (Brot.) Vasc.]
Família: Asteraceae;
Mais informação: aqui)
(Local e data: Troviscal - Sertã; 27 - Março - 2016)
(Clicando nas imagens, amplia)

Flores na praia: Funcho-do-mar (Crithmum maritimum)







 Funcho-marítimo ou Perrexil-do-mar (Crithmum maritimum L.)
Família: Apiaceae;
[Locais e datas. Praias da Fonte da Telha e da Costa da Caparica concelho de Almada); 3 - 14  de Agosto de 2016]
(Clicando nas imagens, amplia)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Chamaesyce nutans






Chamaesyce nutans (Lag.) Small *
Erva anual, por via de regra, pilosa, por vezes, glabra, com caules erectos ou ascendentes, em geral ramificados a partir da base, que podem atingir até 55 cm, com entrenós marcados por uma banda longitudinal de pêlos curtos e esbranquiçados, mais ou menos densos; folhas oblongo-lanceoladas, dentadas, revestidas espaçadamente por pêlos sedosos compridos, página inferior com 3 nervuras bem marcadas; ciatos solitários ou agrupados em cacho; fruto constituído por cápsula ovoide, glabra.
Tipo biológico: terófito:
Família: Euphorbiaceae;
Distribuição: Planta nativa das Caraíbas e da América Central, do Sul (Venezuela) e do Norte (México e Leste do Canadá e dos Estados Unidos), entretanto introduzida e naturalizada em diversas partes do Globo (Região Mediterrânica; Macaronésia; Região Irano-turaniana tu Japão e Nova Zelândia, designadamente).
Em Portugal ocorre como planta introduzida, quer no Continente (Algarve e Beira Litoral), quer nos arquipélagos dos Açores e da Madeira.
Ecologia/habitat: terrenos perturbados, baldios, campos agrícolas (onde se comporta e é considerada como infestante) em locais a altitudes até 900m.
Floração: de Abril a Outubro.
* Sinonímia: Euphorbia nutans Lag. (Basónimo)
[Local e data: pomar nas margens do rio Séqua (Tavira); 22 - Agosto - 2016] 

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Tabaqueira ou Fona-de-porco (Solanum mauritianum).

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

(8)
Tabaqueira ou Fona-de-porco (Solanum mauritianum  Scop.)
Arbusto ou pequena árvore, densamente pubescente, que pode ultrapassar 5m de altura, com caules erectos e ramificados; folhas pecioladas, inteiras, ovado-elípticas; flores violetas, agrupadas em inflorescências terminais, corimbiformes. O fruto é uma baga aproximadamente esférica, coberta por pêlos densos, de cor amarela, na maturação.
Tipo biológico: Fanerófito.
Família: Solanaceae
Planta originária da América Central, introduzida e naturalizada em vários países tropicais e também no arquipélago dos Açores, onde terá sido introduzida para fins ornamentais e onde se comporta, actualmente, como espécie invasora. Ocorre também como subespontânea no território português do Continente (Beira Litoral e  Douro Litoral) e no arquipélago da Madeira.
Ecologia/habitat: baldios, margens de cursos de água, bermas de estradas e caminhos, com frequência, em locais de alguma forma perturbados, a altitudes até 100m.
Floração: de Maio a Junho.
[Locais e datas: Ilha de S. Miguel (Açores); 4 - Maio - 2016 (fotos 3, 4 e 6); Ilha das Flores (Açores) 6 - Maio - 2016( fotos restantes)] 
(Clicando nas imagens, amplia)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Flores na praia: Cordeiros-da-praia (Otanthus maritimus)





 Cordeiros-da-praia [Otanthus maritimus (L.) Hoffmanns. & Link]
Família: Asteraceae;
Mais informação: aqui.
[Local e data: Praia da Fonte da Telha - Costa da Caparica (Almada); 3 - Agosto - 2016]
(Clicando nas imagens, amplia)