terça-feira, 30 de novembro de 2010

Grevílea (Grevillea robusta)




Grevillea robusta A.Cunn. ex R.Br.

Árvore originária da região subtropical da costa leste da Austrália,  foi introduzida em numerosas partes do globo como planta ornamental, embora também seja cultivada para produção de madeira, pois é uma planta de crescimento rápido. No Brasil, é também usada como quebra-ventos para protecção de plantações de café. Em Portugal é sobretudo usada como planta ornamental, podendo encontrar-se em ruas, parques e jardins públicos.Planta da família Proteaceae, é designada, entre nós, por Grevília, ou Grevilha. Também é conhecida pela designação de Carvalho-sedoso, por certo, tradução do inglês Silky-oak .
(Clicando nas imagens, amplia)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Estrepes (Asparagus albus)


Estrepes (Asparagus albus L.)
Pequeno arbusto da família Asparagaceae, dotado de espinhos bem fortes e acerados, é conhecido entre nós pela designação de Estrepes. Distribui-se pela Região Mediterrânica ocidental (Europa e norte de África) incluindo Portugal, onde ocorre em terrenos incultos, secos e ensolarados, sobretudo na região algarvia e no interior do Alentejo e das Beiras. Floresce no verão.
(Local e data: Alvor - Algarve; 06 - Agosto - 2009)
(Clicando nas imagens, amplia)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Floresta amazónica




(Imagens da floresta amazónica, recolhidas nas margens do Rio Negro e do Rio Solimões, nas proximidades de Manaus, onde ambos se juntam para formar o Rio Amazonas.) 
(Clicando nas imagens, amplia)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Calluna vulgaris



Calluna vulgaris (L.) Hull

Este pequeno arbusto, muito ramificado, da família Ericaceae é conhecido entre nós pelos nomes vulgares de Torga, Torga-ordinária, Urze, Urze-do-matoQueiró Queiroga, além de vários outros, alguns dos quais partilha com outras espécies do género Erica.
Planta nativa da Europa e do norte de África, encontra-se também na América do Norte, onde terá sido introduzida. Em Portugal ocorre por todo o território, incluindo nas ilhas dos Açores e da Madeira, sobretudo em terrenos argilo-xistosos, secos ou pouco húmidos, nas encostas dos montes, terrenos que disputa com outros arbustos, como as estevas, as carquejas e os tojos e outras urzes.
Embora céptico quanto à sua eficácia, registo que as partes florais da planta são usadas em fitoterapia, tendo como principais indicações o uso como anti-séptico das vias urinárias e como remédio contra a gota (v. Plantas e Produtos Vegetais em Fitoterapia).
Sinonímia: Calluna vulgaris var. pubescens W.D.J.Koch; Erica vulgaris var. alba Weston; Calluna sancta Gand.; Calluna sagittifolia var. hirsuta Gray; Calluna pyrenaica Gand.; Calluna oviformis Gand.; Calluna olbiensis Albert; Calluna erica var. condensata (Lamotte) Rouy; Calluna erica proles olbiensis (Albert) Rouy; Calluna erica proles beleziae (Rouy) Rouy; Calluna brumalis Gand.; Calluna beleziana Rouy; Calluna atlantica Seemen; Calluna alpestris Gand.; Ericoides vulgaris (L.) Merino; Erica vulgaris L.; Calluna sagittifolia Gray; Calluna erica DC.; Calluna beleziae Rouy; Calluna erica var. hirsuta (Gray) Rouy in Rouy & Foucaud; Calluna sagittifolia Gray; Erica sagittifolia var. villosa Stokes; Erica sagittifolia Stokes
(Local: Troviscal - Sertã)
(Clicando nas imagens, amplia)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Unha-gata (Ononis spinosa)



Unha-gata (Ononis spinosa L.)
Subarbusto muito ramificado, mais ou menos espinhoso, que raramente atinge os 80 cm de altura, a Unha-gata, também designada por Gatunha e Resta-boi, é uma planta da família Fabaceae, nativa de grande parte do continente europeu, Ásia ocidental e norte de África (fonte) onde cresce em terrenos secos, cultivados e incultos e à beira dos caminhos.
(Local: à beira da estrada Nave - Sabugal)
(Clicando nas imagens, amplia)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Viburnum rhytidophyllum

(Viburnum rhytidophyllum Hemsl.)
Planta arbustiva, da família Adoxaceae,  originária da China, é cultivada, designadamente na Europa, como planta ornamental. 
(Clicando na imagem, amplia)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Tojo-arnal-do-litoral (Ulex europaeus)

Tojo-arnal-do-litoral [Ulex europaeus L. subsp. latebracteatus (Mariz) Rothm.]
Sinonímia: Ulex europaeus L. for. latebracteatus (Mariz) Samp.; Ulex europaeus L. var. latebracteatus Mariz.
Planta da família Fabaceae, que se distribui pelo noroeste da Península Ibérica e que ocorre em matagais e em terrenos incultos (Fonte).
(Local: Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto)
(Clicando nas imagens, amplia)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ansarina (Linaria caesia)

Ansarina [Linaria caesia (Pers.) DC. ex Chav. subsp. decumbens (Lange) M. Laínz]

Planta da família Scrophulariaceae, a Ansarina, também designada por Linária-das-dunas, Linária-da-praia e Passarinho-amarelo, é um endemismo ibérico que ocorre na parte ocidental da Península Ibérica, tendo o seu habitat nos areais  costeiros e sistemas dunares ao longo do litoral.
(Local:  Dunas junto da Ria de Aveiro)
(Clicando nas imagens, amplia)

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Malva-almiscarada (Malva moschata)



Malva-almiscarada (Malva moschata L.)
Planta da família Malvaceae é nativa de grande parte da Europa (Portugal incluído) e do sudoeste da Ásia, encontrando-se, porém, naturalizada noutras regiões, incluindo na América do Norte. Surge espontânea em terrenos incultos e, com frequência, à beira dos caminhos. Também é cultivada como planta ornamental.
(Local e data: proximidades do Sabugal; Junho -2010)
(Clicando nas imagens, amplia)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Cânhamo-de-África (Sparrmannia africana)

 (Sparrmannia africana L. f.)
Planta da família Tiliaceae (ou Malvaceae, segundo a classificação APG), é nativa do Sul de África, onde surge espontânea nas margens de bosques e em encostas rochosas com humidade. É cultivada como planta ornamental para jardins, sendo também utilizada como planta de interiores. É designada em Portugal por Cânhamo-de-África (cfr. Portugal Botânico de A a Z).
(Clicando nas imagens, amplia)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Gerânio-da-Madeira (Geranium maderense)

(antes da floração)
(inflorescência/infrutescência)

(flor)

O Gerânio-da-Madeira (Geranium maderense Yeo)  é uma planta da família Geraniaceae, nativa e endémica da ilha da Madeira, onde também é designada por Pássaras. É uma planta muito apreciada e largamente cultivada como planta ornamental, graças à sua espectacular inflorescência.
(Clicando nas imagens, amplia)

sábado, 13 de novembro de 2010

Fidalguinhos (Centaurea cyanus)

(Centaurea cyanus L. )
Designada em Portugal pelos nomes comuns de  Fidalguinhos, Saudades, Lóios-de-jardim, Ciano e Ambreta e, no Brasil, por Escovinha, esta planta da família Asteraceae, é considerada nativa da Europa, mas encontra-se naturalizada noutras regiões do globo, onde foi introduzida para fins ornamentais. No continente de origem, enquanto planta silvestre, embora ocorra em terrenos incultos, estava, sobretudo, associada  aos campos de cultivo de cereais, locais onde actualmente se encontra em declínio devido ao uso de herbicidas. Como planta cultivada para fins ornamentais, esta espécie conhece vários cultivares, podendo as flores (e as inflorescências) apresentar-se sob  formas diversas.
(Clicando nas imagens, amplia)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sapinho-roxo (Spergularia purpurea)

Sapinho-roxo [Spergularia purpurea (Pers.) G.Don]

Planta pequena e rasteira, da família Caryophyllaceae, tende a formar tufos mais ou menos extensos em terrenos incultos e à beira dos caminhos. Prefere solos arenosos e bem ensolarados. A sua distribuição está limitada à Península Ibérica e Marrocos (Fonte) Em Portugal, distribui-se por todo o território do Continente. Floresce ao longo de grande parte da primavera e do verão.
(Clicando na imagem, amplia)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Botão-azul (Jasione montana)

Conquanto apresente semelhanças com as espécies da família Asteraceae, esta planta designada vulgarmente por Botão-azul [Jasione montana L.; sin: Jasione laevis subsp. rosularis (Boiss. et Reut.) Tutin; Jasione lusitanica A. DC.; Jasione montana L. subsp. echinata  (Boiss. et Reut.) Nyman; Jasione montana L. subsp. montana; Jasione montana L. var. genuina Willk.; Jasione rosularis Boiss. et Reut.] pertence à família Campanulaceae. Tida como originária da Europa, a sua actual distribuição é bem mais ampla, pois ocorre também em parte da Ásia, noroeste de África e em alguns Estados da costa leste e da costa oeste dos Estados Unidos.
Em Portugal, onde floresce ao longo da primavera e verão, ocorre por todo o território do Continente, em terrenos com boa exposição solar,  pouco húmidos, e com frequência entre rochas e à beira dos caminhos.
(Clicando nas imagens, amplia)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Sempre-noiva-das-floristas (Helichrysum petiolare)

Sempre-noiva-das-floristas [Helichrysum petiolare Hilliard & Burtt; sin: Gnaphalium tomentosum Burm, Helichrysum petiolatum (L.) DC.]
Originária da África do Sul, esta planta da família Asteraceae, encontra-se naturalizada na América do Norte (Estados Unidos) e em vários países europeus, incluindo Portugal, onde é utilizada como planta ornamental e onde é conhecida pela designação de Sempre-noiva-das-floristas
(Clicando nas imagens, amplia)

domingo, 7 de novembro de 2010

Rabo-de-raposa (Stachys ocymastrum)


Esta planta, da família Lamiaceae, conhecida vulgarmente pela designação (não exclusiva da espécie) de Rabo-de-raposa [Stachys ocymastrum (L.) Briq.] é originária da Região Mediterrânica, Portugal incluído, ocorrendo em zonas com alguma humidade, em terrenos baldios, incultos e à beira dos caminhos.
(Clicando nas imagens, amplia) 

sábado, 6 de novembro de 2010

Eryngium serra

Eryngium serra Cham. & Schltdl.
Planta da família Apiaceae, originária da América do Sul (Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina) onde ocorre espontânea em pântanos e nas margens de cursos de água. É utilizada como planta ornamental.
(Clicando na imagem, amplia)